Home » Sem categoria

Category Archives: Sem categoria

Inscrições abertas para mais de 200 vagas em Programas de Pós-Graduação da UFPA

A Universidade Federal do Pará está com inscrições abertas para mais de 200 vagas em diversos Programas de Pós-Graduação. As oportunidades são para os campi de Belém, Abaetetuba e Cametá, nas áreas de Ciências Biológicas, Sociais Aplicadas, Humanas, da Natureza, da Educação e da Saúde. Mais informações sobre as seleções abertas podem ser consultadas nos editais disponíveis no SIGAA e no Portal de Cursos e Eventos da Fadesp.

As 90 (noventa) vagas de especialização são para os cursos de Práticas Pedagógicas na Educação do Campo e de Gestão e Planejamento da Educação, ambos no Campus Cametá. O prazo para realizar as inscrições nas duas seleções encerra no dia 31 de março, e os editais para saber mais sobre o processo seletivo e sobre as instruções para inscrição podem ser consultados na aba Lato Sensu do SIGAA.

Vagas para mestrado – Já no mês de abril, encerram-se os prazos para se inscrever nos mestrados em Cidades, Territórios e Identidades do Campus Abaetetuba (PPGCTI), no dia 5, com 33 (trinta e três) vagas; Ciências Ambientais (PPGCA), no dia 6, com 15 (quinze) vagas abertas; e Ciências Farmacêuticas (PPGCF), no dia 12, com 18 (dezoito) vagas disponibilizadas.

Vagas para doutorado – Para quem deseja ingressar em um curso de doutorado, as seleções abertas são para os seguintes Programas de Pós-Graduação: Ciências Ambientais (PPGCA), com 10 (dez) vagas e inscrições que podem ser realizadas até o dia 6 de abril; e Ecologia (PPGECO), com 5 (cinco) vagas e inscrições abertas até o dia 30 de julho.

Por fim, o processo seletivo do Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento (PPGTPC) oferece 50 (cinquenta) vagas para sua turma de doutorado e as inscrições seguem até o dia 30 de julho. O edital desta seleção pode ser conferido aqui.

Para acessar os editais de cada um dos Programas de Pós-Graduação citados nesta matéria e obter informações mais detalhadas sobre as respectivas seleções, basta acessar os editais dos respectivos processos seletivos stricto sensu e lato sensu disponibilizados no SIGAA UFPA e no Portal de Cursos e Eventos da Fadesp.

Texto: Adams Mercês – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Mkt Ascom

Está aberto o prazo para submissões de propostas para o Programa de Apoio ao Doutor Pesquisador

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Pará (Propesp/UFPA) recebe, até o dia 19 de abril, submissões de propostas ao Programa de Apoio ao Doutor Pesquisador (Prodoutor) e aos Subprogramas Apoio ao Recém-Doutor (PARD) e Apoio ao Doutor Recém-Contratado (PARC). O programa visa promover a execução de projetos de pesquisa por docentes da UFPA e prevê a concessão de equipamentos e bolsas de Iniciação Científica a docentes recém-doutores pelo PARD e a docentes recém-contratados por meio do PARC. Para mais informações, confira o Edital do Prodoutor.

O Prodoutor é voltado a docentes e a técnicos efetivos da UFPA e tem como objetivo fornecer suporte para a introdução à pesquisa, com equipamentos e bolsas de Iniciação Científica. Considerado como um dos maiores incentivos à pesquisa inicial, o Prodoutor possibilita, ainda, a consolidação de novos grupos de pesquisa, o qual se caracteriza como uma forma de incentivo ao credenciamento de doutores nos quadros dos Programas de Pós-Graduação da UFPA.

“O objetivo principal desse edital é integrar o jovem doutor no nosso sistema de pesquisa e pós-graduação. É um grande incentivo para que esses profissionais possam iniciar a consolidação de suas carreiras científicas na Instituição”, ressalta a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPA, Iracilda Sampaio.

Nesta seleção, serão concedidos até 100 (cem) auxílios individuais. A concessão inclui uma bolsa de Iniciação Científica pelo período de um ano, renovável por mais um ano, e um conjunto de itens básicos para a atividade regular da pesquisa, incluindo insumos para laboratórios e equipamentos de informática. O fomento para o apoio em itens de capital e de custeio, como material de consumo de laboratório no valor de até três mil reais, está alocado no recurso anual da Propesp.

Seleção – As submissões serão recebidas por meio do SIGAA, até o dia 19 de abril. Os interessados devem cumprir todas as seguintes etapas: cadastro do projeto de pesquisa no SIGAA, com portaria de aprovação emitida pela Unidade; anexo de comprovante do título de doutor do interessado, com data de aprovação da tese claramente enunciada (PARD) ou cópia do termo de posse na Instituição devidamente assinado (PARC); cadastro do plano de trabalho; solicitação da cota/tipo de bolsa; importação do Currículo Lattes para o SIGAA e validação das produções intelectuais no SIGAA.

Os critérios de avaliação levarão em conta o Currículo Lattes do solicitante, com ênfase na produção científica dos últimos três anos (2018-2020); a qualidade e viabilidade do projeto de pesquisa; a qualidade e viabilidade do plano de atividade do bolsista de IC; a participação do candidato em projeto de pesquisa aprovado por agências de fomento (CNPq, Capes, Finep, Fapespa) ou a submissão de projeto às mesmas agências, com documentação comprobatória (quesito não obrigatório, mas classificatório); a submissão para publicação de artigos ou capítulos relacionados ao tema de sua tese de Doutorado; a inserção no ensino de graduação e a vinculação a grupos de pesquisa da Instituição, constantes no Diretório de Grupos do CNPq ou com potencial de nucleação de novos grupos.

As propostas serão avaliadas pela Propesp, com o apoio de pesquisadores de diferentes áreas de conhecimento. A análise das propostas será feita até o dia 30 de abril e a divulgação do resultado final está prevista para o dia 17 de maio.

Serviço:

Programa de Apoio ao Doutor Pesquisador (Prodoutor)
Inscrições: até o dia 19 de abril
Mais informações estão disponíveis no Edital

Texto: Adams Mercês – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Mkt Ascom

UFPA colabora com a identificação de variantes do coronavírus no Pará

A Universidade Federal do Pará (UFPA) está à frente de pesquisas que buscam identificar as linhagens circulantes do novo coronavírus (SARS-COV-2) presentes no estado e no país. Os estudos vêm sendo realizados pelo Grupo do Laboratório de Genética Humana e Médica, tendo como coordenadora a professora Ândrea Ribeiro-dos-Santos, da Faculdade de Biomedicina, do Instituto de Ciências Biológicas (ICB/UFPA). Inclusive, foi feita pela UFPA a análise inicial de 80 amostras, das quais oito (10%) foram identificadas, na última sexta-feira, 5 de fevereiro, com a nova variante brasileira do coronavírus, proveniente do Amazonas.

A identificação desta variante faz parte de dois projetos que a professora do ICB coordena atualmente, com pesquisas sobre a Covid-19 no estado. Um deles tem parceria com o governo do Pará, com financiamento da Fapespa, por meio do qual foi constituída uma rede com outras instituições, como o Instituto Evandro Chagas, a Secretaria Estadual de Saúde (Sespa) e o Laboratório Central (Lacen), para entender se existem variações/mutações presentes no material genético (DNA) do hospedeiro humano que podem explicar o quadro de maior agravamento de alguns pacientes que contraem Covid-19.

“Por que algumas pessoas apresentam quadro mais grave do que outras? Isso se deve também às mutações que estão presentes nesses indivíduos que têm maior suscetibilidade de contraírem o vírus ou não?”, questiona a professora Ândrea Ribeiro-dos-Santos.

O outro projeto é realizado em parceria com o ITV, a Fiocruz, a UFRN, o Lacen e a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), entre outras instituições, e tem como objetivo principal investigar as linhagens circulantes, principalmente no estado do Pará. “É importante entender as linhagens virais, uma vez que elas também podem fazer parte de um quadro de maior agravamento desses indivíduos, que chegam a se internar com crises de falta de ar, a seguir para a UTI, e, algumas vezes, com desfecho em óbito, ou seja, este agravamento pode estar relacionado não apenas com a suscetibilidade do paciente mas também com a existência de linhagens mais transmissíveis ou mais graves”.

Sequenciamento genético – A nova cepa foi identificada com uma metodologia de Sequenciamento de Nova Geração (NGS), que realiza o sequenciamento do genoma, uma tecnologia extremamente moderna, também disponível na UFPA. “O grupo de pesquisadores que fazem parte da Genética e Biologia Molecular da UFPA representa muito bem o Brasil e o Pará nessa área. Por meio dessa tecnologia, identificam-se todas as bases nucleotídicas que constituem o genoma desse vírus”, explica a professora Ândrea.

Sobre a letalidade da nova linhagem do coronavírus identificada, a pesquisadora afirma ainda não ser possível afirmar cientificamente que seja mais letal. “Como tudo é muito novo, não tem como afirmar se algumas observações que são vistas, por exemplo, o que está acontecendo com a população de Manaus, são consequências de uma maior letalidade. O que podemos dizer, apenas, é que essa nova linhagem, que chamamos de “variante de atenção P.1”, que aconteceu em Manaus, é uma variante importante, à semelhança de outras duas que são de maior transmissibilidade e estão presentes no Reino Unido e na África do Sul, todas essas três variantes de atenção apresentam um elevado poder de transmissão”, destaca.

“Vamos ter que aguardar mais resultados de pesquisas, porque se você parar para imaginar que o sistema de saúde, em 2020, sem ter uma variante mais transmissível, já colapsou, espera-se uma maior gravidade na saúde, considerando este novo cenário, em que existe uma variante com poder de transmissão muito maior. Pode ser que o aumento da letalidade possa estar também relacionado a isto, ou seja ao conjunto de situações, e não signifique que a variante P.1 seja necessariamente mais letal. Aparentemente, ela é mais grave, mas ainda é muito cedo para afirmar se é mais letal”, complementa.

Cuidados permanecem – Segundo a professora, em relação à nova variante, a prevenção continua com todas as medidas que já vêm sendo tomadas desde o início da pandemia: evitar aglomeração, manter o distanciamento social e usar máscara em qualquer situação, higienizar as mãos com água e sabão ou álcool 70%. “Além desses cuidados, temos um importante aliado, que é a vacina. Para que a imunização pela vacina aconteça da melhor forma, precisamos proteger a própria vacina evitando o aparecimento de novas variantes. Toda vez que evitamos aglomerações, realizamos o distanciamento e, quando necessário, nos isolamos, entre outras atitudes, estamos diminuindo a chance de o coronavírus se replicar e mutar, consequentemente estamos ajudando a imunizar aquela população. Portanto, é preciso realmente tomar para si o compromisso de se prevenir por si e por todas as pessoas da população”.

“A Universidade está dando uma contribuição muito importante principalmente para o estado do Pará, porque tem conciliado todas essas medidas e dado condição para que, mesmo com dificuldades, continuemos fazendo testes de diagnóstico em grupos de pessoas que trabalhem em setores essenciais. Testar assintomáticos também é importante porque aí se quebra a cadeia de transmissão pela falta de conhecimento a esse respeito”, conclui a docente.

Texto: Jéssica Souza – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Reprodução SUS

Centro Acadêmico de Letras de Castanhal convoca estudantes da FALE para Assembleia Geral


O Centro Acadêmico de Letras (CAL) da UFPA/Castanhal convoca os discentes para a Assembleia Geral dos Estudantes de Letras, Língua Portuguesa e Língua Espanhola. O evento está marcado para os próximos dias 17 (às 19h) e 18 (às 15h) de fevereiro e ocorrerá de forma virtual, pelo Google Meet. O link da reunião será enviado com antecedência para os representantes das turmas, via Whatsapp.

As principais questões a serem tratadas na Assembleia serão as alterações do Estatuto que atualmente rege o CAL, aprovado em Março de 2019, bem como a convocação de novas eleições para a entidade, previstas para o primeiro semestre deste ano. 

A convocação de uma nova Assembleia foi fruto de deliberação conjunta entre o CAL e o Conselho de Representantes de Turma (CRT), durante reunião ocorrida no dia 03/02, às 15h. 

A íntegra do Edital de Convocação pode ser acessada aqui.

Serviço:
Assembleia Geral dos Estudantes de Letras da UFPA/Castanhal

Datas e horários:
– 17/02, às 19h, para as turmas do turno noturno;
– 18/02, às 15h, para as turmas do turno diurno.

Local: Plataforma Google Meet

Texto e imagem: Divulgação – Centro Acadêmico de Letras

Alunos de Letras Português da UFPA Campus Castanhal ofertam oficina on-line de redação

A turma de Letras Língua Portuguesa 2016 da UFPA Campus Castanhal estará promovendo uma oficina on-line de redação nos dias 18, 22, 25 e 26 de fevereiro. A Oficina é fruto da disciplina Estágio Supervisionado do Ensino Médio, orientada pelas professoras Drª Marcia Ohuschi e Drª Zilda Paiva, e tem por objetivo auxiliar alunos do Ensino Médio na preparação para a prova de Redação do ENEM. Além de alunos do Ensino Médio, o curso também está aberto para professores da Educação Básica que tiverem interesse em conhecer mais sobre a revisão e reescrita de textos.   

Das inscrições – A oficina tem vagas limitadas e será ofertada de forma online pela plataforma Google Meet. As inscrições são gratuitas e vão até dia 12 de fevereiro ou até o preenchimento de todas as vagas. Você pode efetuar sua inscrição aqui. 

Se o número de inscrições ultrapassar a quantidade de vagas haverá uma lista de espera que, eventualmente, será utilizada, caso haja desistência. A equipe de organização das inscrições entrará em contato com os inscritos para a confirmação da inscrição. 

Ao final da oficina, os participantes receberão um certificado com a carga horária de 10h referente às atividades realizadas. 

Texto e imagem: Divulgação – Turma de Letras Português 2016

 

Seguem abertas as inscrições do concurso que vai selecionar logotipo para o Instituto de Medicina Veterinária da UFPA

Em 2021, o Instituto de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Pará (IMV/UFPA), vinculado ao Campus de Castanhal, comemora 10 anos de criação. Além disso, o curso de Medicina Veterinária também comemora 20 anos de existência.

Para celebrar esse momento, estão abertas as inscrições para o concurso que vai escolher um logotipo, que será utilizado para a identidade visual do IMV.

Podem se inscrever, individualmente ou em grupo, discentes regularmente matriculados em qualquer curso de  graduação ou pós-graduação do Campus de Castanhal, além dos professores e técnicos da Unidade. Os interessados devem enviar seu trabalho, obedecendo às regras descritas no edital, para imv@ufpa.br, com o assunto “Concurso Logo IMV”, até o dia 12 de fevereiro. No ato da inscrição, também é necessário preencher uma ficha (anexo I do edital), na qual deve constar uma breve descrição da intenção criativa da proposta.

Logotipo – Os trabalhos inscritos deverão priorizar aspectos como criatividade, originalidade, aplicabilidade e comunicabilidade. É necessário enviar dois arquivos no ato da inscrição, sendo um em formato vetorizado na extensão .pdf e outro em formato de imagem na extensão .png, com  resolução mínima de 1024×1024 pixels. Os participantes podem desconsiderar o subitem 3.5, do item 3. DAS INSCRIÇÕES DAS PROPOSTAS, a saber: “3.5. Os trabalhos inscritos deverão obedecer ao Modelo de Identidade Digital Padrão do Governo Federal, disponível através do link: https://www.gov.br/receitafederal/pt-br/assuntos/noticias/2014/setembro/conheca-o-novo-modelo-da-identidade-digital-padrao-do-governo-federal.”

Resultado final e premiação – O resultado do concurso será publicado nos perfis do facebook e do instagram do Campus de Castanhal, no dia 22 de fevereiro. O vencedor irá receber, no dia 24 de fevereiro, um notebook como prêmio pela participação no concurso.

O logotipo vencedor passará a ser de propriedade exclusiva do IMV, que terá total liberdade para utilizá-lo em todas as formas da identidade visual, tais como: eventos, fôlderes, cartazes, impressos, papéis timbrados, convites, envelopes, bandeiras, site institucional e em outras aplicações definidas pelo Instituto.

A proposta vencedora terá sua propriedade intelectual cedida de pleno direito e por prazo indeterminado ao IMV, não cabendo quaisquer ônus, tais como pagamento de cachês, direitos autorais e outros pagamentos ou ressarcimentos que venham a ser reivindicados pelo autor.

Serviço:
Concurso de logotipo do Instituto de Medicina Veterinária
Inscrições: até 12 de fevereiro, por e-mail (imv@ufpa.br)
Público-alvo: discentes, técnicos e docentes da UFPA/Castanhal
Premiação: notebook
Regras: confira o edital

Texto: Paula Lopes – Ascom UFPA/Castanhal

Inscrições para o PS 2021 encerram em 05 de fevereiro

Já está disponível no site do Centro de Processos Seletivos da Universidade Federal do Pará (CEPS/UFPA) o Edital do Processo Seletivo 2021 (PS 2021). O principal concurso para ingresso no ensino superior da UFPA, desta vez, disponibiliza 7.355 vagas em 196 cursos sediados em 19 municípios paraenses, incluindo 196 vagas adicionais reservadas a pessoas com deficiência (PcD). Para Castanhal, são disponibilizadas 390 vagas em 8 cursos de graduação. As inscrições são online e podem ser feitas das 14h do dia 11 de janeiro até as 17h do dia 5 de fevereiro. A expectativa é que cerca de 90 mil estudantes participem do concurso.

Inscrições – Pelo quarto ano consecutivo, o valor da taxa de inscrição no PS da UFPA é R$ 50 reais. Este ano, o pagamento da taxa deve ser feito até o dia 19 de fevereiro, mas quem deseja a isenção da taxa deve solicitar o benefício no ato da sua inscrição.

Podem solicitar a isenção, estudantes que comprovem ter cursado todo o Ensino Médio ou equivalente na rede pública, ou aqueles que cursaram todo o Ensino Médio na rede privada com bolsa integral de estudos. Essa isenção no pagamento da taxa de inscrição não se confunde com o direito de concorrer a vagas de cotas específicas. A UFPA vai analisar os pedidos de isenção e o resultado deve ser divulgado a partir do dia 8 de fevereiro na página de acompanhamento de inscrição de cada candidato(a).

Regras – Para o PS2021, as principais regras continuam as mesmas de anos anteriores. O preenchimento das vagas utiliza como base os resultados obtidos pelos(as) candidatos(as) nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2020, que ocorrerão, presencialmente, nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021 e, no formato digital, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021. Os(As) estudantes que cursaram todo o Ensino Médio em escolas localizadas em um dos estados da Região Norte recebem bônus de 10% sobre o valor da nota obtida no Enem.

Não há alterações em relação ao Sistema de Cotas, observando o disposto nas Leis n. 12.711/2012 e n. 13.409/2016. Metade das vagas da instituição segue reservada para os(as) egressos(as) da rede pública de ensino. Desse percentual, 50% das vagas são destinadas a quem é oriundo de família com renda per capita de até 1,5 salário mínimo, e, dessas vagas, no mínimo 78% serão direcionadas para quem se autodeclara preto, pardo ou indígena. Ainda pelo sistema de cotas da UFPA, pelo menos 7,76% das vagas serão reservadas a quem se declara pessoa com deficiência. Além disso, PcDs podem se candidatar a uma vaga extra criada pela Universidade em todos os cursos ofertados.

Em quadros do edital, os(as) candidatos(as) podem conferir com mais detalhes os grupos de inscrição e os grupos de vagas aos quais concorrerão a partir do seu perfil. Assim, será possível perceber, de maneira clara, que um(a) mesmo(a) candidato(a) concorre, em muitas ocasiões, a vagas que pertencem a mais de um grupo de cota.

O que mudou?  Embora várias regras sejam as mesmas, há diferenças no concurso deste ano em relação ao PS 2020. A primeira novidade está ligada à pandemia de Covid-19. Devido às restrições previstas para minimizar o risco de contágio pelo novo coronavírus, os(as) candidatos(as) inscritos(as) para os cursos de Dança e Música não farão Exame de Habilidades. O Enem será, portanto, a única prova para todos(as) os(as) candidatos(as) ao PS 2021.

Outra novidade está prevista para o “pós-Listão”. A partir deste ano, quem deseja concorrer a vagas pelo sistema de cotas reservadas a pessoas que se inscrevem e se autodeclaram pretos(as) ou pardos(as) deverão se apresentar a uma Comissão de Heteroidentificação, que irá analisar se o fenótipo de cada candidato(a) confirma a autodeclaração.

Expectativas e compromisso  O processo seletivo da UFPA é bastante aguardado pelos(as) estudantes paraenses e de outros estados. Com o prolongamento da pandemia, o edital precisou ser pensado juntamente ao planejamento das atividades acadêmicas da universidade para 2021. Para o pró-reitor de Ensino de Graduação da UFPA, Edmar Costa, “a aprovação dos termos deste Edital pelo Consepe representa a confiança da comunidade acadêmica na capacidade da UFPA de receber egressos do ensino médio, mantida praticamente a mesma oferta dos anos anteriores, em uma conjuntura tão desafiadora como sabemos que será a deste ano. Apesar de a oferta das aulas em nossos cursos depender do cenário epidemiológico relacionado à Covid-19, tanto o edital do PS como o calendário acadêmico abrem possibilidades para que o ensino de qualidade da nossa Instituição possa ser praticado em todas as Unidades”.

Mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia, garantir a oferta de vagas para novas turmas em 2021 era um compromisso da UFPA com a sociedade, de acordo com o reitor Emmanuel Zagury Tourinho: “Milhares de pessoas aguardavam as definições da UFPA quanto à oferta de novas vagas nos cursos de graduação. Mesmo em um cenário de incertezas, tínhamos clareza de que a Universidade não podia deixar de realizar o seu processo seletivo anual, que representa a maior oportunidade de acesso ao ensino superior na região amazônica. Por isso, a instituição trabalhou intensamente para viabilizar a recepção dos futuros calouros, apesar da pandemia e a partir da definição de um calendário de atividades acadêmicas que acomoda o atraso previsto na divulgação dos resultados do ENEM”.

Serviço:

Edital do PS 2021
Inscrições a partir das 14h do dia 11 de janeiro até as 17h do dia 5 de fevereiro.
Edital completo
Mais informações na página do concurso.
O edital também será disponibilizado, em breve, em Libras e em formato para leitores de tela.

Texto: Glauce Monteiro – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Mkt Ascom

Ciclo de palestras on-line do Instituto de Medicina Veterinária segue até 05 de fevereiro

Como parte dos eventos em comemoração aos 20 anos do Curso de Medicina Veterinária e aos 10 anos do Hospital Veterinário e Instituto de Medicina Veterinária do Campus de Castanhal da UFPA, ocorrerá um ciclo de palestras on-line nos dias 3, 4 e 5 de fevereiro. Para participar do II Simpósio do Instituto de Medicina Veterinária: 20 anos de Ensino, Pesquisa e Extensão na Amazônia, as inscrições podem ser feitas aqui.

A palestra principal do evento será no dia 3, a partir das 15h, com transmissão ao vivo pelo youtube e pela fanpage do IMV/UFPA. O tema “A Medicina Veterinária do Passado, do presente e do futuro” será ministrado pela professora convidada Maria José de Sena, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), também presidente da Comissão Nacional de Educação da Medicina Veterinária (CFMV). A moderação ficará por conta da professora Carina Martins de Moraes (UFPA).

Nos dias subsequentes, vários outros professores abordarão temáticas diversas relativas à área da Medicina Veterinária no Pará, na Amazônia, no Brasil e no mundo. Para o segundo dia de evento, serão ministrados os seguintes temas: “COVID-19 – desafios da ciência para a compreensão da epidemiologia, desenvolvimento de vacinas e a relação dos animais na pandemia”; “A Epidemiologia da Covid-19 com foco no Pará e o impacto sobre o ensino nos cursos da saúde médica”; “A importância dos biomodelos no combate à pandemia e outros agravos em Saúde Pública” ” Animais de companhia em meio à Pandemia de Covid-19”.

No dia 5, as discussões serão sobre “Saúde única: o conhecimento da integração entre a saúde animal, humana e o meio ambiente voltado para doenças tropicais”; “Epidemiologia da doença de Chagas na Amazônia: Aspectos enzoóticos”; “Desafios para a saúde única na atual crise ambiental” e “Biodiversidade, saúde e impacto das doenças na conservação”.

Convidados – Além da professora da UFRPE e presidente da CFMV, estão entre os convidados do evento: a doutora Klena Sarges (Fiocruz/RJ); a doutora Marina Coroa (iniciativa privada); a doutora Lilian Silva Catenacci (UFPI); a doutora Fabiana Lopes Rocha (UFPB). Representando a própria UFPA, estão entre os palestrantes a professora Rita Catarina Medeiros Sousa e o doutor Gustavo Góes Cavalcante. Entre os moderadores, o professor Leônidas Olegário, diretor-geral do IMV/UFPA; e a professora Carla Moraes.

Atualmente, o Instituto de Medicina Veterinária conta com quatro subunidades, a saber: Faculdade de Medicina Veterinária, Programa de Pós-Graduação em Saúde Animal na Amazônia (PPGSAAM),  Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal (PPGCAN) e o Programa de Pós-Graduação na Amazônia (Reproamazon); o Hospital Veterinário, três Programas de Residência em Medicina Veterinária, vinculados  ao hospital, e um Programa de Residência Médica vinculado ao Laboratório de Patologia Animal, a Central de Biotecnologia de Reprodução Animal (Cebran). Todos os gestores participarão da abertura do evento, o convidado diretor do IFPA Castanhal, professor Adebaro Alves dos Reis, além do vice-reitor da UFPA, Gilmar Pereira da Silva, gestor da Universidade Multicampi.

Para conferir a programação completa, acesse o facebook Instituto de Medicina Veterinária da UFPA.

Serviço:

Ciclo de Palestras de Medicina Veterinária
Data: 3, 4 e 5 de fevereiro
Horário: conferir programação
Transmissão ao vivo pelos seguintes canais: Facebook e Youtube.
Inscrições aqui.

>> Leia Também:

Curso de Medicina Veterinária completa 20 anos na UFPA

Texto: Jéssica Souza – Ascom UFPA
Foto: Divulgação IMV

Campus da UFPA em Belém recebe posto de vacinação contra a Covid-19 para idosos a partir de 85 anos

A Universidade Federal do Pará (UFPA) é um dos pontos de vacinação contra a Covid-19 para idosos a partir de 85 anos (completos ou a completar até 31 de dezembro de 2021) em Belém. A aplicação das vacinas iniciou nesta quarta-feira, 3 de fevereiro, às 9h. O período de vacinação para esse público, na Universidade, vai até domingo, dia 7, ou enquanto durar o estoque de doses. A vacinação ocorre das 9h às 16h, no térreo do prédio Mirante do Rio e também em sistema drive-thru. A entrada de veículos e de pedestres está autorizada em todos os portões. A coordenação da ação é da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) de Belém, com apoio da UFPA. Além da infraestrutura, a UFPA disponibilizou uma equipe de profissionais de Enfermagem de seu Complexo Hospitalar para colaborar na vacinação.

Para receber a vacina, o idoso precisa portar o RG ou um documento oficial com foto, um comprovante de residência em Belém e o Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS). Em princípio, estão sendo disponibilizadas 200 doses da vacina para cada posto de atendimento à população. O posto da Sesma na UFPA recebeu doses da Coronavac e poderá solicitar doses adicionais, de acordo com a demanda da população. “Como a vacina não pode ficar fora da câmara fria por muito tempo, conforme acabarem as doses, vamos solicitando reposição”, explica Moisés Batista da Silva, professor do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFPA e assessor da Sesma, que está na organização da vacinação.

As pessoas que chegam a pé ou por transporte público formam a fila no térreo do prédio Mirante do Rio, localizado no setor básico do Campus Guamá, em cadeiras dispostas seguindo o protocolo de distanciamento social. Quem chega de carro entra em uma fila de veículos, permanecendo no carro para ser vacinado. Somente os acompanhantes saem do carro para realizar o cadastro. Esse sistema, denominado drive-thru, atende, principalmente, a idosos com dificuldade de locomoção.

03.02.2021 Vacinação de idosos Foto Alexandre de Moraes 12Função social da Universidade – No total, 11 postos de vacinação foram montados pela Prefeitura de Belém para a continuidade desta primeira fase do calendário de vacinação em Belém. O fato de a UFPA ser um deles, segundo o professor Moisés Silva, diz muito sobre a função social da Universidade Pública. “A Universidade tem um papel muito maior do que a gente costuma ver noticiado. Ela é um polo de criação de conhecimento, de formação de profissionais, mas tem também no seu cerne, além de pesquisa e ensino, a extensão, o relacionamento direto com a comunidade. E, a UFPA, hoje, colaborando com o município de Belém no processo de vacinação, cumpre mais uma vez seu papel de excelência”.

O professor Gilmar Pereira da Silva, reitor em exercício, ressaltou a parceria da Universidade com a Sesma para viabilizar mais essa fase da vacinação: “Desde o início da pandemia, a UFPA não tem medido esforços para colaborar com os órgãos de saúde, assim como com a sociedade em geral, no combate à Covid-19. Em mais esta fase importante, a vacinação, nos colocamos à disposição e temos estabelecido um bom diálogo com a Sesma para colaborar com o que for necessário”.

03.02.2021 Vacinação de idosos Foto Alexandre de Moraes 10De acordo com o professor Moisés Silva, o calendário de vacinação em Belém está diretamente relacionado à disponibilidade de doses da vacina para o município. “Nós preparamos uma dose vacinal adequada para esse público e, conforme formos vencendo a demanda, vamos baixando a idade, mas isso vai depender diretamente do número de doses disponibilizadas para Belém”. No posto da UFPA, estão sendo aplicadas doses da vacina Coronavac, mas também já está disponível na capital paraense a vacina da Astra-Zeneca.

A expectativa é de que a segunda dose seja aplicada ao mesmo público com um intervalo de 30 dias, sendo que o idoso precisa procurar o mesmo posto de vacinação onde tomou a primeira dose e receber o mesmo tipo de vacina da primeira dose. “É por isso que o controle tem que ser muito estrito, de forma que estamos anotando todas as informações das pessoas, incluindo contato, para poder informar esses pormenores, caso necessário”, indicou o professor Moisés.

03.02.2021 Vacinação de idosos Foto Alexandre de Moraes 7Para o professor, a importância desse momento é crucial: “A vacinação é o começo do fim desse processo de pandemia. Então, nós temos que vacinar a população, os profissionais de saúde, os idosos, os acamados, a população que está economicamente ativa, mas isso é um processo longo. A vacinação que estamos fazendo hoje não vai ter um efeito imediato na diminuição do número de casos, especialmente pela baixa quantidade de doses vacinais que estão disponíveis. Mesmo para quem já está vacinado, não significa deixar de seguir com os cuidados individuais e coletivos de proteção, ou seja, é importante manter a utilização de máscaras, o distanciamento, a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel 70%, o respeito à lotação recomendada em espaços como restaurantes e etc, pois ainda não temos uma cobertura vacinal que garanta 100% a proteção da vida humana”, alerta.

Em relação à nova variante do vírus que circula no Brasil proveniente do estado do Amazonas, o especialista diz que ainda estão sendo realizados estudos para encontrar a resposta se as vacinas hoje existentes cobrem ou não a imunização contra a nova cepa. “Nós ainda não podemos afirmar categoricamente se a vacina tem ou não uma função contra a nova variante do cornavírus, mas a possibilidade de garantir essa proteção, mesmo com novas variantes, ainda existe. Por isso, as pessoas devem ser vacinadas”.

03.02.2021 Vacinação de idosos Foto Alexandre de Moraes 5Espaço adequado – Para o posto de vacinação na UFPA, a Sesma disponibilizou cerca de 10 colaboradores. A enfermeira Camila Muniz, da Estratégia de Saúde da Família (ESF) da Terra-Firme, que coordena as equipes, elogiou a escolha do local. “Aqui fica bem localizado, próximo ao Guamá, Terra-Firme, Jurunas, dentre outros bairros, e tem um ambiente amplo, arejado, não tem como aglomerar por conta do espaço, o que faz com que os idosos se sintam mais seguros”.

Já a técnica em enfermagem do HUJBB, Zila Camarão, uma das responsáveis pela aplicação das vacinas, disse que “é muito importante estarmos, neste momento, vacinando mais um grupo, no caso os idosos, para irmos ampliando a imunização. É um momento emocionante, já que estamos há mais de um ano nessa rotina de isolamento. Então, é um momento de libertação. Sabemos que a liberdade não vai ser imediata, ainda levará um tempo para a vacinar toda a população, mas só o fato de os idosos poderem se proteger, já nos traz um alívio, pois eles são mais vulneráveis”.

Vacinação idosos 2021 02 03Esperança – A primeira idosa a chegar na UFPA para receber a vacina, às 5h da madrugada, foi Maria Oneide Lira dos Santos, de 85 anos, moradora do Guamá. Ela veio acompanhada da filha Dina Santos e da neta Débora. Mãe de 9 filhos e avó de 23 netos, além de bisnetos, a idosa estava serena e feliz. “Viemos na primeira oportunidade para garantir que ela fosse logo imunizada, para que ela possa receber os familiares e interagir com as pessoas com mais segurança”, disse a neta. “Ela está isolada desde quando começou a pandemia, em maio de 2020, apesar de gostar muito de passear e sentir muito a falta dos netos e filhos. Viemos logo porque ela é muito frágil. Não temos mais nosso pai, só temos ela, então, ela é nossa segurança, nosso porto seguro”, relatou a filha.

No drive-thru, a primeira vacinada foi Maria do Rosário Gomes da Fonseca, de 94 anos. “Desde que começou a pandemia, eu vivo em casa, só saio para ir ao médico”, disse a idosa que tem 9 filhos, 18 netos, 21 bisnetos e 3 tataranetos. Sua neta, que é servidora da UFPA, a acompanhou e afirmou estar muito feliz em ver a avó se vacinar. “Significa um recomeço de vida, de contato com ela. A família toda está sofrendo muito com a distância, pois só a temos visto de longe, e, agora, não vemos a hora de poder voltar a conviver com ela, mantendo os cuidados”, revelou Dielly Fonseca.

O idoso Francisco Américo Filho, de 86 anos, também se vacinou. “Ainda quero viver pelo menos mais dez anos. Estava pedindo a Deus para poder ser vacinado, porque eu já estava há 11 meses vivendo dentro de um quarto, sozinho, sem ter nem com quem conversar”. Morador do bairro do Guamá há 59 anos, o idoso é pai de 9 filhos, 17 netos e um bisneto. Ele foi acompanhado pela filha, que declarou estar muito emocionada e resumiu sua emoção com uma única frase: “Viva a ciência!”.

Serviço:

Vacinação na UFPA para idosos com 85 anos ou mais
Data (primeira dose): de 3 a 7 de fevereiro de 2021 (ou até durarem as doses)
Horário: das 9h às 16h
Local: térreo do prédio Mirante do Rio, setor Básico, Campus UFPA – Guamá.
Documentos necessários: RG ou outro documento oficial com foto, comprovante de residência em Belém e Cartão do SUS.

Texto: Jéssica Souza – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre de Moraes e Jéssica Souza

Curso de Medicina Veterinária completa 20 anos na UFPA

Nesta quarta, 20 de janeiro, o curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Castanhal, comemorou 20 anos. Para marcar a data, será realizado um ciclo de palestras com profissionais da região e de outros estados, cujo tema tratará da saúde única (humana, animal e ambiental) em relação à pandemia do coronavírus, entre outros assuntos, nos dias 3 a 5 de fevereiro. A programação será on-line. Além disso, estão abertas as inscrições para um concurso que vai escolher um logotipo a ser utilizado para a identidade visual do Instituto de Medicina Veterinária (IMV), Campus Castanhal (saiba mais aqui).

O curso foi criado na UFPA pelo Conselho Superior de Ensino e Pesquisa (Consepe) por meio da Resolução n° 2745, de 19/10/2000, com base na estrutura já existente da Central de Biotecnologia e Reprodução Animal (Cebran) da UFPA, em atuação desde 3 de setembro de 1995. A primeira turma de Medicina Veterinária iniciou-se no ano 2001, com aulas na sede do Campus de Castanhal e no Laboratório de Diagnósticos Veterinários (Cedivet), com o apoio dos laboratórios e das estruturas da Cebran.

IMV05Atualmente, o Instituto de Medicina Veterinária conta com quatro Subunidades, a saber: A Faculdade de Medicina Veterinária, o Programa de Pós-Graduação em Saúde Animal na Amazônia (PPGSAAM), o Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal (PPGCAN) e o Programa de Pós-Graduação na Amazônia (REPROAMAZON); um Hospital Veterinário, três Programas de Residência em Medicina Veterinária, vinculada ao hospital e um programa de Residência Médica vinculada ao Laboratório de Patologia Animal, uma Central de Biotecnologia de Reprodução Animal (CEBRAN), doze Laboratórios de Ensino, Pesquisa e Extensão e, em breve, vai inaugurar um Restaurante Universitário.

Histórico – O processo de discussão acerca da criação do Instituto de Medicina Veterinária foi iniciado no Conselho da Faculdade de Medicina Veterinária, em 2 de fevereiro de 2010, com a realização de um debate envolvendo todos os discentes, os servidores técnico-administrativos e docentes. Esta possibilidade se deu por conta de a criação do Programa de Pós-Graduação em Saúde Animal na Amazônia (PPGSAAM) ter sido aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em nível de Mestrado, em agosto de 2008, e respaldado no Estatuto da UFPA. Portanto, nos dias 1º e 2 de junho de 2010, ocorreu a votação pela qual os discentes, os técnicos e os professores da Faculdade de Medicina Veterinária se manifestaram em relação à criação do Instituto de Medicina Veterinária.

Surgiu, assim, a necessidade de serem criadas as instalações adequadas para suportar as exigências demandadas pelo curso de graduação e da pós-graduação. “E no decorrer desses 10 anos, foram se construindo a estrutura hospitalar e os laboratórios de formação, culminando com a inauguração, em 3 de dezembro de 2010, do Complexo da Medicina Veterinária, cujas instalações se deram numa parceria importante entre a UFPA e a antiga Escola Agrotécnica, hoje Instituto Federal do Pará (IFPA)”, lembra o professor Leônidas Olegário de Carvalho, atual diretor geral do IMV.

IMV03O Complexo abrange o Hospital Veterinário, com a proposta de atender aos setores de produção animal, animais de companhia e silvestres; laboratórios de apoio, como o de Anatomia Patológica e o de Patologia Clínica; laboratórios na área de saúde, como o de Sanidade Animal e o de Zoonoses; além de laboratórios de pesquisa na área de produção animal (Nutrição Animal, Ovinocultura e Avicultura), Higiene e Qualidade de Alimentos, Biologia Molecular e um moderno bloco para atividades acadêmicas das disciplinas básicas do curso.

Somou-se ao Instituto o Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, oriundo do antigo Centro de Ciências Agrárias, hoje Instituto Amazônico de Agriculturas Familiares – INEAF, em Belém, e, mais recentemente, o Programa de Pós-Graduação em Reprodução Animal na Amazônia – Reproamazon, em virtude de uma associação bem-sucedida de trabalhos na Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).

Os três mencionados programas de pós-graduação stricto sensu oferecem cursos de mestrado e doutorado. Além disso, o Hospital Veterinário (HV), que também completa 10 anos de existência, oferece três Programas de Residência em Medicina Veterinária e um Programa de Residência vinculado ao Laboratório de Patologia Animal.

IMV01Conquistas – “Hoje o IMV demonstra sucesso em elevar a nota do Enade pelo curso de graduação e continua na crescente busca da excelência no atendimento hospitalar às várias espécies de animais. O Instituto de Medicina Veterinária, com o seu corpo de técnicos administrativos, docentes e discentes, vem se empenhando em melhorar as condições de formação profissional e, com o apoio da coordenação do Campus de Castanhal e da administração superior da UFPA, tende a melhorar, cada vez mais, os seus serviços, pelo compromisso de oferecer o melhor no ensino, na pesquisa e na extensão, e pelo dever constitucional da Universidade Federal do Pará, sendo uma instituição pública e gratuita, tendo por dever a oferta do melhor à sociedade”, avalia o diretor Leônidas.

O professor José Diomedes Barbosa Neto participou da criação do curso de Medicina Veterinária e da elaboração de seu projeto político pedagógico. Ele lembra que houve dificuldades, mas, hoje, celebra a consolidação dessa graduação, da formação de profissionais e pesquisadores da área. “O curso é um projeto que deu certo, que forma bastantes pessoas e já gerou diversos cursos de pós-graduação e ações de extensão. É uma honra ter participado da fundação desse curso que hoje tanto ajuda a região na formação de mão de obra agropecuária”, lembra o docente, que também se orgulha de continuar na ativa para buscar cada vez mais melhorias para a graduação.

Já o professor Aluizio Otávio de Almeida destaca o papel fundamental da Central de Biotecnologia de Reprodução Animal (Cebran) para o fortalecimento do curso de Medicina Veterinária da UFPA em Castanhal, tendo o curso surgido desta iniciativa. “Nas etapas subsequentes, sempre estivemos presentes, apoiando no que podíamos e contribuindo de forma efetiva no crescimento e consolidação do curso de Medicina Veterinária. Creio que o principal fator que alavancou e consolidou o referido curso foi o fato de já termos com a Cebran as estruturas físicas minimamente necessárias para o seu bom funcionamento. Além disso, termos a sorte e o privilégio de contar com um corpo docente e técnico, que, embora ainda muito reduzido, se mostra bastante qualificado e comprometido com a formação de bons profissionais”.

Para saber mais sobre o curso de Medicina Veterinária e sobre o Instituto de Medicina Veterinária da UFPA, acesse o site do Campus de Castanhal.

Texto: Jéssica Souza – Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Gustavo Góes Cavalcante, Aluízio da Silva, Danilo Ferreira Rodrigues e José Alcides