Home » PPGEAA

Category Archives: PPGEAA

Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia recebe conceito 4.0 na avaliação quadrienal da CAPES

Surgido em 2017, o Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA), vinculado à UFPA Castanhal, em sua primeira avaliação do período quadrienal (2017-2020) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) obteve reconhecido sucesso, aumentando seu conceito de 3 para 4.

“O feito surpreende, pois a maioria dos PPGs localizados na Amazônia somente atingem conceito 4 após o segundo período de avaliação quadrienal. Outro ponto que merece destaque é que o PPGEAA foi o único dos campi do interior da UFPA que subiu de nota, o que mostra o reconhecido empenho e sucesso de todos que fazem este Programa”, comemora o vice-coordenador do PPGEAA, professor José Guilherme Fernandes.

A coordenadora, professora Yomara Pires, explicou quais são os critérios adotados pela Capes para a atribuição dos conceitos.

“O processo de avaliação se dá por meio da coleta anual de dados públicos e transparentes, registrados pelos Programas da Plataforma Sucupira (plataforma comum ao Sistema Nacional de Pós-Graduação). A avaliação é realizada por pares: Comissões de especialistas da área e Conselho Técnico Científico do Ensino Superior”, relata a docente.

Os conceitos distribuídos aos PPGs se distribuem em notas de 1 a 7, sendo 3 (regular), 4 (bom) e 5 (muito bom). Os que obtêm notas 6 e 7 são os Programas com excelência, sendo referências para as Áreas. Conceitos 1 e 2 implicam no descredenciamento do curso e seus diplomas deixam de ter validade nacional. A nota máxima para programas que têm apenas o mestrado, como o PPGEAA, é 5.

A importância da avaliação se dá em diferentes aspectos: assegura ao aluno de mestrado ou doutorado que ele terá aulas e será orientado por professores competentes, cientificamente produtivos e reconhecidos por seus pares; garante a qualidade dos cursos; permite a concessão de recursos por parte do poder público e instituições privadas, levando em consideração os PPGs com melhores conceitos Capes. Além disso, permite que as próprias instituições avaliadas definam suas políticas de aprimoramento interno.

O PPG em Estudos Antrópicos na Amazônia concentra-se na área 45 – Interdisciplinar, estando na Câmera de Ensino II – sociais e humanidades. Dentre os critérios de avaliação da área interdisciplinar pontuam-se: perfil do corpo docente; atividades de pesquisa e produção científica dos docentes; produção intelectual dos discentes e egressos, aderência e atualização das áreas de concentração com as linhas de pesquisa; qualidade e adequação das dissertações; internacionalização e, agora, também o impacto social do programa.

Ao avançar da nota 3 para 4, o PPGEAA está habilitado para pleitear o doutorado, como anuncia o professor José Guilherme Fernandes.

“Muito feliz por esse sucesso, duplamente: por ter estado na gênese deste Programa e por, atualmente, estar na vice-coordenação, juntamente com a professora Yomara Pires. Parabéns à nossa comunidade acadêmica pelo empenho, e vamos ao doutorado!”, conclui.

Texto: Paula Lopes – Ascom UFPA/Castanhal
Arte: Ana Lima – Ascom UFPA/Castanhal

Docente do PPGEAA participa de comissão de evento antirracista. Prazo para propostas de atividades está aberto até 15 de junho.

A Cátedra UNESCO em Educação Superior e Povos Indígenas e Afrodescendentes na América Latina convida a comunidade acadêmica a apresentar propostas para a 3ª Campanha pela Erradicação do Racismo no Ensino Superior, mediante atividades que promovam reflexões, debates e ações que visem a contribuir para a erradicação das múltiplas formas de racismo que ainda persistem nas políticas, sistemas e instituições de Ensino Superior da América Latina.

A chamada é destinada a propostas de atividades presenciais e/ou na Internet e/ou redes sociais a serem colocadas em prática por estudantes, professores, pesquisadores e demais trabalhadores de Instituições de Ensino Superior da América Latina. O prazo para apresentação de propostas vai até 15 de junho de 2022, pelo e-mail: educacionsuperiorcontraelracismo@untref.edu.ar.

Cátedra UNESCO – a Cátedra UNESCO “Educação Superior e Povos Indígenas e Afrodescendentes na América Latina” foi criada em 2018, pelo Programa de Educação Superior e Povos Indígenas e Afrodescendentes na América Latina (Programa ESIAL) do Centro Interdisciplinar de Estudos Avançados (CIEA), da Universidade Nacional de Três de Febrero (UNTREF), de Buenos Aires (Argentina). Tem por objetivo realizar pesquisas e divulgar seus resultados, oferecer oportunidades de capacitação a pesquisadores, professores e gestores, desenvolver campanhas de educação e comunicação pública e formular e promover propostas de políticas e transformações institucionais, no campo da Educação Superior e Povos Indígenas e Afrodescendentes na América Latina.

O Programa ESIAL foi criado em 2012 a partir da experiência desenvolvida entre 2007 e 2011 pelo “Projeto de Diversidade Cultural e Interculturalidade na Educação Superior”, do Instituto Internacional de Educação Superior da UNESCO na América Latina e Caribe (UNESCO-IESALC), sendo desde a origem dirigido pelo Prof. Dr. Daniel Mato, quem é hoje o Diretor da Cátedra. Com a colaboração de 67 pesquisadores de 11 países da região, o projeto UNESCO-IESALC realizou quatro investigações de âmbito latino-americano, que deram origem à publicação de quatro livros. O primeiro deles alimentou as deliberações sobre o tema na 2ª Conferência Regional de Educação Superior (CRES), realizada em Cartagena das Índias em 2008.

Dentre os pesquisadores participantes do Programa ESIAL está o Prof. Dr. José Guilherme dos Santos Fernandes, vice-coordenador, docente e pesquisador do PPG em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA), do Campus de Castanhal, o único pesquisador da UFPA participante da Rede ESIAL e que está na Comissão Avaliadora das propostas que serão apresentadas na 3ª Campanha. A importância da participação de pesquisador e docente do PPGEAA em rede de pesquisadores internacionais está na proporção da necessidade de internacionalização da pós-graduação, no que se refere à participação em centros de pesquisa estrangeiros, sendo esta condição importante para a avaliação do PPGEAA pela CAPES. Além disso, as redes de pesquisas fortalecem a qualidade da produção e o reconhecimento pelos pares desta produção.

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE A 3ª CAMPANHA:

Iniciativa para la Erradicación del Racismo en la Educación Superior (untref.edu.ar).
educacionsuperiorcontraelracismo@untref.edu.ar

Texto: Divulgação – PPGEAA (Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia)

 

 

COLINS/PPGEAA participa de oficina de definição de famílias usuárias da Resex Marinha Mocapajuba em São Caetano de Odivelas

O Colaboratório de Interculturalidades, Inclusão de Saberes e Inovação Social (COLINS), coordenado pelo professor José Guilherme Fernandes, e vinculado ao Programa de Pós Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia do Campus de Castanhal, é um grupo de pesquisa que tem como objetivo principal promover a inclusão de saberes, a partir da integração colaborativa entre a academia e as comunidades autóctones, considerando seus saberes e práticas culturais em interação nos espaços e paisagens de ocorrência. O Grupo atua, também, no Núcleo Universitário de São Caetano de Odivelas (NUSC), desenvolvendo pesquisas na região.

Pela relevância dos trabalhos realizados desde 2018, o NUSC, por meio do COLINS, possui cadeira no Conselho Deliberativo da Reserva Extrativista (Resex) Marinha Mocapajuba, criado a partir da portaria 881/2020, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio.

Como ação do Conselho, o COLINS/NUSC participou, no mês de abril, na condição de Grupo de Acompanhamento, de oficinas para definição do perfil das famílias beneficiárias da Resex Marinha Mocapajuba, com sede no município de São Caetano de Odivelas, estando na representação do NUSC a coordenação acadêmica, sob a direção do professor José Guilherme Fernandes.

Para as discussões sobre a delimitação das famílias, foram realizadas oficinas nas vilas de Boa Vista, Pererú de Fátima e Monte Alegre, com a participação dos professores do Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA) da UFPA/Castanhal, Paulo Canto e José Guilherme Fernandes. O coordenador do COLINS falou sobre a importância da contribuição dos docentes na ação de manejo.

“A partir de ações como essa, estreitamos os laços com a comunidade e exercitamos o papel social da academia, além de proporcionarmos informação científica para melhor gestão territorial nos espaços amazônicos em defesa da sustentabilidade e conservação ambientais”, explicou o professor José Guilherme Fernandes.

Texto: Paula Lopes – Ascom UFPA/Castanhal
Fotos: Divulgação COLINS

Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos prepara recepção para alunos da turma 2022

No dia 06 de abril inicia-se uma nova etapa para quem foi aprovado no processo seletivo 2022 para a turma de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia do Campus de Castanhal. Os mais novos alunos do PPGEAA deverão participar da orientação acadêmica e da aula inaugural, que acontecerão na sede do Programa.

Todos os mestrandos (inclusive das demais turmas) e o corpo docente do PPGEAA estão convidados para participar desse momento de interação entre a universidade e a sociedade. Demais membros da comunidade acadêmica, interessados na temática, também podem prestigiar o evento.

A programação contará com aula magna, ministrada pelo prof. Dr. Francisco Plácido Magalhães (IMV/UFPA), além da apresentação do PPGEAA e dos seus grupos de pesquisa.

Serviço:
Programação de Acolhimento à turma 2022 do Mestrado em Estudos Antrópicos na Amazônia
Período: 06/04 (das 8 às 12h e das 14 às 18h) e 08/04 (das 8 às 12h)
Local: Sede do PPGEAA (Rua Maximino Porpino, 1000, Pirapora, Castanhal/Pa)

Texto: Paula Lopes – Ascom UFPA/Castanhal
Arte: Luís Otávio da Silva – Ascom UFPA/Castanhal

Seleção de Mestrado do PPGEAA: divulgado o resultado final

A comissão responsável pelo processo de seleção ao mestrado (turma 2022) do Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA) divulga o resultado final, com os nomes dos candidatos aprovados e classificados. Clique aqui para conferir.

Os candidatos aprovados deverão encaminhar, no período de 15 a 18/03/2022, para o e-mail ppgeaa.selecao2021@gmail.com, a documentação abaixo (em formato PDF, em um único arquivo):

– Foto 3×4;

– Carteira de Identidade, CPF e Título de Eleitor (frente e verso);

– Certificado de Reservista, para candidato do sexo masculino (frente e verso);

– RNE (Registro Nacional de Estrangeiro) ou passaporte, para candidatos estrangeiros;

– Comprovante de graduação reconhecido pelo MEC ou equivalente (frente e verso);

– Histórico Escolar de Graduação devidamente assinado e carimbado pela IES emitente;

– Termo de compromisso (clique aqui para acessar)

Fica a critério do PPGEAA a solicitação de outros documentos que forem considerados necessários para efetivação da matrícula.

O candidato que, no prazo destinado à matrícula, não cumprir as exigências de documentação não poderá matricular-se. Neste caso, fica sem efeito o resultado obtido pelo candidato no Exame de Seleção.

Para outras informações sobre a Seleção de Mestrado 2022, acesse www.ppgeaa.propesp.ufpa.br

Seleção de Mestrado do PPGEAA: divulgado o resultado das defesas dos projetos

A comissão responsável pelo processo de seleção ao mestrado (turma 2022) do Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia divulga o resultado da II etapa, referente às defesas dos projetos de pesquisa. Clique aqui para conferir.

Para interposição de recursos contra o resultado dessa etapa, os candidatos têm até o dia 10 de fevereiro. Basta escrever para o e-mail ppgeaa.selecao2021@gmail.com.

Para outras informações sobre a Seleção de Mestrado 2022, acesse www.ppgeaa.propesp.ufpa.br.

Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos divulga errata sobre as vagas para a seleção de mestrado – turma 2022

A Comissão de Avaliação do Processo Seletivo para o Exame de Seleção ao ingresso ao Curso de mestrado do Programa Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA), vinculado ao Campus da UFPA em Castanhal, no sentido de manter a legitimidade e a transparência do processo seletivo, torna pública a seguinte errata referente às vagas presentes no EDITAL 001/2021 PPGEAA – turma 2022 (clique aqui para conferir).

Para mais informações sobre a seleção de mestrado, leia a matéria completa, aqui.

Inscrições abertas para o Mestrado em Estudos Antrópicos na Amazônia (turma 2022)

O Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA), vinculado ao Campus da UFPA/Castanhal está com inscrições abertas para a turma de mestrado 2022. Os candidatos interessados devem se inscrever através do formulário disponível no site do PPGEAA, até o dia 20 de dezembro de 2021.

As inscrições deverão ser realizadas exclusivamente pela internet e será cobrado o valor de R$ 100,00. Para solicitar isenção da inscrição, o candidato deverá enviar o requerimento para o e-mail ppgeaa.selecao2021@gmail.com, até o dia 6 de dezembro.

Para esta seleção serão ofertadas 23 vagas, distribuídas em duas linhas de pesquisa, sendo 10 (dez) vagas para a linha de pesquisa Etno-SocioBiodiversidade e Sustentabilidade Ambiental e 13 (treze) para a linha Etno-Saberes e Tecnologias Sociais. Em atendimento aos preceitos inclusivos da UFPA, serão destinadas 03 (três) vagas étnicoraciais para candidato(as) indígenas e quilombolas e 01 (uma) PADT (Programa de Apoio à Capacitação de Docentes e Técnicos, da Universidade Federal do Pará), conforme descrito na errata do edital de seleção.

Público-alvo – O Mestrado em Estudos Antrópicos na Amazônia é voltado a todos os portadores de diploma de nível superior (reconhecido pelo MEC), independente da área de formação. No caso de cursos de graduação realizados fora do país, o diploma deverá estar reconhecido por instituição governamental no país de realização do curso, bem como ter validade no território nacional brasileiro.

Etapas – A seleção de Mestrado para a turma 2022 do PPGEAA será realizada em 3 etapas: avaliação de Projeto de Pesquisa (eliminatória e classificatória), defesa do Projeto de Pesquisa (eliminatória e classificatória) e prova de títulos (classificatória).

ESTUDOS ANTRÓPICOS NA AMAZÔNIA – Os estudos antrópicos têm por objetivo investigar e estudar realidades e modelos culturais e científicos em contato, propondo projetos e/ou ações relativos à compreensão da antropização em seus desdobramentos na sociobiodiversidade e na interação de saberes. Cada vez crescente, enquanto resposta mais adequada aos problemas complexos da humanidade, o caráter de diálogo de saberes, sejam acadêmicos e/ou não-acadêmicos, é a base interdisciplinar do PPGEAA, sendo também sua área de avaliação na CAPES.

Para mais informações sobre a seleção de mestrado 2022 do PPGEAA, clique aqui.

Serviço:
Seleção de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA)
Inscrições: até 20/12/2021
Taxa de inscrição: R$100 (com possibilidade de solicitação de isenção).
Edital: clique aqui.
Errata ao edital: clique aqui.
Dúvidas sobre o edital: escreva para ppgeaa.selecao2021@gmail.com

Texto: Paula Lopes e Ana Lima – Ascom UFPA/Castanhal
Imagem: Divulgação

 

Inscrições para o Mestrado em Estudos Antrópicos na Amazônia (turma 2021) são prorrogadas até 11 de janeiro

Foram prorrogadas até 11 de janeiro de 2021 as inscrições para o mestrado interdisciplinar do Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA), vinculado ao Campus da UFPA/Castanhal.

As inscrições deverão ser realizadas exclusivamente pela internet, no site da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPA. Será cobrado o valor de R$ 120,00. O período para solicitar isenção da taxa vai até 04 de janeiro.

Para esta seleção serão ofertadas 24 vagas, distribuídas em duas linhas de pesquisas, sendo 07 (sete) vagas para a linha de pesquisa Ambientes, Saúde e Práticas Culturais e 17 (dezessete) para a linha de pesquisa Linguagens, Tecnologias e Saberes Culturais. Em atendimento aos preceitos inclusivos da UFPA, serão destinadas 05 (cinco) vagas para indígenas e quilombolas, conforme descrito no edital de seleção.

Público-alvo – O Mestrado em Estudos Antrópicos na Amazônia é voltado a todos os portadores de diploma de nível superior (reconhecido pelo MEC), independentemente da área de formação. No caso de cursos de graduação realizados fora do país, o diploma deverá estar reconhecido por instituição governamental no país de realização do curso, bem como ter validade no território nacional brasileiro.

ESTUDOS ANTRÓPICOS NA AMAZÔNIA – Os estudos antrópicos têm por objetivo investigar e estudar realidades e modelos culturais e científicos em contato, propondo projetos e/ou ações relativos à compreensão da antropização em seus desdobramentos na sociobiodiversidade e na interação de saberes. Cada vez crescente, enquanto resposta mais adequada aos problemas complexos da humanidade, o caráter de diálogo de saberes, sejam acadêmicos e/ou não-acadêmicos, é a base interdisciplinar do PPGEAA, sendo também sua área de avaliação na CAPES.

Para mais informações sobre a seleção de mestrado 2021 do PPGEAA, clique aqui. Para consultar o novo cronograma (calendário) da seleção, clique aqui.

Texto: Paula Lopes – Ascom UFPA/Castanhal

Seminário Interdisciplinar de Pesquisa do PPGEAA terá transmissão pelo Youtube e Facebook

O Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA), integrado ao Campus de Castanhal da Universidade Federal do Pará (UFPA), inicia nesta segunda, 8 de junho, às 16h, o seu Seminário Interdisciplinar de Pesquisa (SIPE), na modalidade online, com transmissão pelo Facebook e pelo YouTube, um debate com o prof. Dr. José Guilherme Fernandes, professor e vice-coordenador do PPGEAA, que irá discutir sobre a interdisciplinaridade e estudos antrópicos na Amazônia.

Participe com sua pergunta. Ela poderá aparecer na tela da live e ser respondida pelos convidados do evento.

Transmissão ao vivo: Facebook e YouTube do PPGEAA-UFPA.
Facebook: facebook.com/antropicos
Youtube: bit.ly/374vWeM